Susam e Ministério da Saúde discutem implantação de sistema de gestão de custos nas unidades do estado

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) iniciou nesta terça-feira (11/06) as tratativas com o Ministério da Saúde (MS) para a implantação do Programa Nacional de Gestão de Custos (PNGC) nas unidades hospitalares do Amazonas. Otimizar a aplicação dos recursos da saúde em benefício da população é o foco da secretaria com a adesão ao programa, segundo o secretário em exercício da Saúde, Cassio Roberto do Espírito Santo.

Participaram da reunião, além de Cássio Roberto, a coordenadora do PGNC no Ministério da Saúde, Maciene Mendes; a secretária do Fundo Estadual de Saúde (FES), Daniele Magalhães; a secretária executiva de Desburocratização da Casa Civil, Luciana de Souza; o ordenador de despesas da Susam, Perseverando Garcia Filho; além de membros da Casa Civil do Governo do Estado.

De acordo com Cássio Roberto, o Sistema de Apuração e Gestão de Custos do SUS (ApuraSUS) será a ferramenta que vai ajudar os gestores dos hospitais e a própria secretaria a obter e monitorar custos, gastos em ações, serviços e preços de medicamentos praticados no mercado, de forma individualizada e controlada.

“A grande importância está na qualificação da gestão dos recursos, para a gente avaliar melhor os custos, avaliar o quanto o Estado vem gastando para realizar as ações e otimizar os recursos em prol da melhoria de saúde para a população”, ressaltou o secretário em exercício.

A participação de todos os gestores será necessária pela melhor aplicação dos recursos, conforme explicou a coordenadora do Programa no Ministério da Saúde. O PGNC, segundo a Maciene Mendes, foi implantado com sucesso em estados como o Amapá, Bahia, Distrito Federal e Tocantins, onde os gestores receberam o treinamento e a disponibilização do programa de acompanhamento de custos de forma gratuita.

“O foco da gestão não é somente via secretaria, mas também as unidades. A ideia é que o responsável pela unidade de saúde, por mais que não seja o responsável pelo pagamento dos salários e contratos, saiba quanto está custando aquele serviço. Um dia de não comparecimento de um servidor, o custo de uma alta não dada em uma época correta”, exemplificou a coordenadora.

De acordo com o ordenador de despesas da Susam, Perseverando Garcia Filho, o primeiro passo será a decisão pela implementação do programa, com posterior criação do Núcleo de Economia da Saúde (NES) e decisão pelas unidades que se participam do piloto do programa no Amazonas, com o treinamento e implantação do ApuraSUS.

ApuraSUS – Com a finalização do mapeamento e captação dos dados, a equipe envolvida no projeto passará pela capacitação voltada para o uso do ApuraSUS, ferramenta que otimiza de forma padronizada e estruturada a apuração e gestão de custos em saúde. As capacitações são realizadas pelo PNGC ou NES, no próprio estado.

Durante todo esse processo, o Ministério da Saúde e os NES oferecem o suporte necessário aos técnicos das unidades de saúde na realização de todas as etapas de implantação da apuração de custos, desde a estruturação de centros de custos até a geração de resultados,  esclarecendo dúvidas e acompanhando o desenvolvimento das atividades; como também realizam monitoramento e avaliação permanente, desde a sensibilização do nível estratégico até a análise dos resultados por meio de relatórios obtidos por meio do ApuraSUS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *