Rota Manta-Manaus deve ser prioridade também da iniciativa privada, afirma Josué Neto

“Nesse novo momento econômico que o país passa é importante a participação da iniciativa privada na discussão sobre a rota Manta-Manaus e nós estamos fazendo nosso papel abrindo o debate”, declarou na manhã desta segunda-feira (22) o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), Josué Neto (PSD), durante o encontro com o assessor da vice-presidência do Equador, Paolo Cirani, e a representante da Câmara do Comércio do Equador, Viviane Sanchez.

Os representantes do Equador são convidados da Assembleia Legislativa para a Audiência Pública que discutirá ações dos governos do Equador e do Brasil para a concretização do Eixo-Multimodal Manta-Manaus, nesta terça-feira (23) às 10h no Plenário Ruy Araújo.

A rota Manta-Manaus cria uma nova alternativa de transporte de mercadoria saindo do porto de Manta, no Equador, passando por Tabatinga, até Manaus, facilitando o transporte para Estados como o Pará.

“A rota inversa também é possível, de modo a reduzir mais de 30 dias no transporte de mercadorias para os mercados do Japão, China, e diversos outros países”, disse Josué Neto.

Para o presidente a concretização dessa rota num prazo médio de 10 anos facilitará todo o processo de importação e exportação, bem como, abrirá espaço para a exploração de novas matrizes econômicas para o Amazonas.

“Não só os produtos da Zona Franca serão beneficiados, mas também os produtos que importamos de outros mercados, além de facilitar outras matrizes econômicas no futuro, como a exploração mineral do Potássio e a expansão da exploração do gás”, comentou Josué Neto.

RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS

Para o assessor da vice-presidência do Equador, Paolo Cirani, a participação na audiência pública permitirá mostrar o interesse do Equador na concretização da nova rota, além de retornar ao país com as impressões de como o Brasil, em especial o Amazonas, está atuando para a criação da rota.  “Há total interesse do Equador em participar e estamos aqui para ouvir tudo, de modo a levar de volta ao Equador o que de melhor está sendo discutido para implementar essa nova rota comercial”, disse.


Foto: Joel Arthus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *