Prevenção do câncer na terceira idade requer estilo de vida saudável e exames regulares

A chegada da terceira idade requer maiores cuidados com a saúde em geral, e especialmente em se tratando da prevenção do câncer. Além de buscar uma rotina equilibrada e saudável, que contribui para afastar o risco da doença em qualquer fase da vida, as pessoas acima dos 60 anos de idade devem também manter uma agenda regular de exames preventivos para detectar possíveis casos o mais cedo possível. O cuidado maior se justifica pelo fato de que 70% de todos os casos de câncer no mundo acontecem justo nessa faixa etária.

Neste dia 27 de novembro se celebra o Dia Nacional de Combate ao Câncer. Médica da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade (FUnATI), Ana Beatriz Werneck Lima assinala o estilo de vida saudável como um dos pilares para prevenção do câncer também na terceira idade. Ela cita o câncer de mama, alvo da atual campanha Outubro Rosa e tipo da doença mais comum entre as mulheres, como ilustrativo da importância desse cuidado.

“Alguns fatores vêm de antes, como o fato de ter amamentado, que é fundamental na proteção da mulher contra a doença, mas na faixa da terceira idade, quando as mulheres já passaram pela fase reprodutiva, o principal é ter uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos, evitar o tabagismo e a ingestão de álcool, pois isso é o que previne contra o câncer de mama”, diz.

Além das mudanças no estilo de vida, afirma Ana Beatriz, os exames regulares para diferentes tipos de câncer também são essenciais na prevenção do câncer entre as pessoas de idade mais avançada. Em alguns casos, como o da mamografia, que visa a detecção do câncer de mama, as avaliações costumam ser recomendadas ainda antes da terceira idade, por volta dos 40 anos.

“O câncer é uma célula que se desenvolve de maneira inadequada, portanto você deve ter todos os cuidados preventivos e fazer os exames preconizados. No caso da mulher, é importante fazer o exame de mama, o preventivo (para o câncer de colo de útero), o sangue oculto nas fezes, que é um exame de rastreio, e a colonoscopia (ambos para o tipo colorretal)”, enumera a médica da FunATI, que acresce à lista o exame de toque retal, para avaliação do câncer de próstata, mais comum entre o público masculino.

Conscientização – Embora o estilo de vida equilibrado e a realização de exames regulares seja comumente associada à prevenção do câncer na terceira idade, a adoção desse comportamento preventivo entre os idosos não é universal. Por esse motivo, a educação e a conscientização quanto à saúde, incluindo a prevenção do câncer, integram os eixos da FUnATI, que atua na formação de pessoas a partir de 50 anos de idade em cursos e oficinas livres, na assistência em saúde – por meio de sua Policlínica – e na pesquisa na área de Gerontologia.

“Nossa preocupação maior é promover a saúde em todos os vieses da vida, tanto por meio da educação quanto do empoderamento da pessoa idosa e da prestação de cuidados”, explica Vanusa Nascimento, coordenadora da Policlínica da Fundação.

Vanusa cita como exemplo dessa atuação as ações da instituição dentro da campanha Outubro Rosa. “Buscamos promover não só palestras educativas, como também encontros e rodas de conversa tocando em questões como o autoexame das mamas, e ainda a coleta do preventivo para câncer de colo de útero”, explica ela, informando que a coleta do exame preventivo entre o público feminino da instituição é oferecida em outros meses do ano.

Nova mentalidade – As ações educativas da FUnATI têm promovido efetiva mudança nas vidas e nas mentes de quem frequenta a instituição. Caso de Laura Valente, de 57 anos, que vem praticando atividades em busca de uma vida mais saudável desde os 50. “Mas sou danada desde os 14”, brinca ela, que pratica na Fundação fisioterapia – inclusive a pélvica, voltada apenas às mulheres, sendo diferencial da Fundação –, dança livre e jogos, além de participar de aulas e palestras de saúde.

“É muito importante, pois precisamos ter um autoconhecimento. A FUnATI dá essa oportunidade para a gente de se conhecer melhor e de se prevenir com relação à saúde”, afirma ela.

Os cuidados com a saúde também entraram na vida de Mirtes da Silva Melgueiro, que já frequentava o Centro Estadual de Convivência da Família Magdalena Arce Daou desde 2012, antes da instalação da FUnATI no complexo, dois anos depois. Além da hidroginástica e de atividades diversas, ela não descuida da alimentação balanceada e dos hábitos saudáveis de vida como forma de combate a doenças, câncer inclusive.

“Isso me deixou muito ativa. Estou com 71 anos e não sinto nada, graças a Deus estou em forma”, comemora ela, que ensina: “É muito importante a mulher, o homem, toda pessoa se prevenir, porque só se vai detectar o câncer quando ele está avançado. Por isso temos de nos cuidar, fazer exames, procurar o médico, buscar orientações, assistir a palestras – tudo isso influencia para a pessoa se prevenir”.

Hoje frequentadora assídua, Rosineide Pinto Ribeiro, 61, recorreu à Fundação a fim de se prevenir da osteoporose que afeta sua mãe e suas irmãs. Faz hidroginástica, caminhada orientada, passeios, dança livre, e dança carimbó. A conselho do nutricionista da Fundação, passou a cuidar melhor da alimentação. “Eu era meio gordinha, até nisso contribuiu”, conta. E, além de afastar a osteoporose – até hoje não tem queixas –, Rosi não descuida da prevenção do câncer. “Na minha família não tivemos até hoje, mas me previno sempre. Faço autoexame, mamografia e preventivo, participo de palestras, tudo isso”.

Perspectivas no tratamento – Adotar um estilo de vida mais equilibrado, a exemplo de Laura, Mirtes e Rosineide, em qualquer fase da vida, também pode fazer a diferença frente a um possível diagnóstico de câncer. Isso porque um organismo mais saudável terá maiores chances de superar os efeitos adversos dos tratamentos contra a doença, que abrangem cirurgias, quimioterapia, radioterapia, entre outros.

“Numa pessoa mais idosa, você tem que avaliar bem o estado de saúde, para definir melhor o tratamento. Mesmo o idoso saudável tem uma redução na sua imunidade, e isso tem de ser pesado na hora do tratamento. Agora, o idoso que se encontra em condições físicas melhores vai responder melhor ao cuidado”, aponta Ana Beatriz.

A médica da FUnATI assinala, por fim, que os hábitos de vida saudáveis não contribuem apenas na prevenção do câncer, como de outros males igualmente temíveis, como as doenças cardiovasculares e o diabetes, que podem levar a episódios de infarto ou acidente vascular cerebral (AVC).

“Por isso, vale manter uma atividade física regular e uma alimentação saudável em qualquer fase da vida, desde a criança até o idoso”.

BOX: Ensino, pesquisa e assistência com foco no idoso

Criada em 2007, então como Universidade Aberta da Terceira Idade, a FUnATI atua no ensino, pesquisa, extensão e assistência sobre questões relativas ao envelhecimento humano. A entidade hoje tem status de fundação, vinculada à Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), do Governo do Amazonas, e tendo como reitor o médico Euler Ribeiro.

No âmbito da extensão, a Fundação oferece a cada semestre 3 mil vagas, em sua sede e nos Centros de Convivência do Amazonas, destinadas a pessoas a partir dos 50 anos, para oficinas e cursos livres de inglês, informática, danças, atividades físicas, geronturismo, aulas de teatro, entre outros.

A Policlínica da FUnATI é o braço assistencial da instituição, oferecendo atendimento à comunidade com profissionais de atenção básica, nutrição, clínica geral, psicologia, oftalmologia e fisioterapia.

No âmbito do ensino, a FUnATI capacita profissionais para atuarem no âmbito do envelhecimento com cursos de especialização em Gerontologia e Saúde do Idoso. E, em pesquisa, investe no estudo sobre envelhecimento de populações ribeirinhas amazônicas, em parceria com Universidades do Brasil e do exterior.

NÚMEROS

De todos os casos de câncer no mundo, 70% deles acontecem depois dos 60 anos de idade.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um em cada quatro homens entre 60 e 79 anos no mundo tem ou vai desenvolver algum tipo da doença.

Entre as mulheres, o câncer de mama é o tipo mais comum, com 29,5% dos casos novos, seguido dos tipos de cólon e reto (9,4%) e colo do útero (8,1%).

Entre os homens, o câncer de próstata é o tipo de maior incidência, correspondendo a 31,7% dos casos novos.

CONHEÇA: Outubro Rosa e Novembro Azul

Outubro Rosa e Novembro Azul são campanhas anuais realizadas mundialmente nestes meses do ano, visando alertar sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama e do câncer de próstata, respectivamente. Para o Brasil, foram estimados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres. Já o câncer de próstata tem 68.220 casos novos estimados para este ano, com risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens.

DEPOIMENTO

“Vai fazer quatro anos que estou na FUnATI, depois que meu marido faleceu. Foi aqui que eu me encontrei. Sou aluna de geronturismo, já viajei com as meninas e gosto muito. Hoje faço reciclagem e ajudo as meninas a fazer artesanato. Quando estou de folga, gosto de dançar. (O câncer) é uma preocupação para mim, e por isso todo ano faço os meus exames e pratico exercícios aqui. Graças a Deus, desde que entrei aqui estou mais esperta, ativa, não tenho preocupação com saúde.”

– Maria do Rosário Sá de Assis, 62, costureira e artesã, frequentadora da FUnATI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *