Intercept diz que Wilson Lima fez contato com lobistas dos EUA para “vender e destruir a floresta”

O site  Intercept divulgou nesta segunda-feira (26) reportagem em que cita que o governador do Amazonas, Wilson Lima, fez contatos com lobistas de Washington  (EUA) para continuar vendendo terras e destruindo a floresta na Amazônia.

O Intercept é o mesmo site americano que publicou as denúncias contra o Ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador federal Deltan Dalagnol, durante a  operação Lava Jato. Wilson Lima está hoje (27), em Brasília, para discutir com demais governadores da região Norte, o desmatamento da Amazônia.

Na denúncia traduzida para o português, o Interccept afirma que em junho, Wilson Lima, governador do Amazonas, onde está situado aproximadamente um terço da Amazônia, incluindo o epicentro da atual crise de incêndios florestais, começou a trabalhar com o InterAmerica Group, uma empresa de lobby com sede em Washington DC, fundada por Jerry Pierce Jr. Kellen Felix, brasileira vice-presidente do InterAmerica Group, também está listada em registro de divulgação para trabalhar com o estado do Amazonas. Eleito no ano passado, Wilson Lima é filiado ao PSC, partido conservador afiliado à Assembleia de Deus, igreja pentecostal em rápido crescimento no Brasil.

Os registros iniciais, divulgados sob a Lei de Registro de Agentes Estrangeiros através do Departamento de Justiça, que regulamenta o lobby estrangeiro, mostram que Pierce foi chamado para representar o governo de Lima em reuniões com agências federais e o Congresso.

O InterAmerica Group também já apresentou um pacote informativo montado para empresas americanas em nome do governador brasileiro, promovendo a região amazônica por seu potencial de desenvolvimento. O pacote lista mineração, agronegócio e “indústria química de gás” como “oportunidades” para empresas americanas. Entre os “desafios” para essas empresas em potencial está “garantir a conservação da floresta”.

Em resposta a uma pergunta do Intercept, Pierce disse que um contrato final não foi assinado. “Infelizmente, o estado da Amazônia decidiu adiar a contratação de nossa empresa por tempo indeterminado. Talvez a negociação seja retomada em 2020”, escreveu Pierce. Ele não respondeu a uma pergunta sobre por que sua empresa já estava produzindo comunicações em nome do governo de  Wilson Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *