Indústria Nacional de Bicicletas Investirá R$ 40 Milhões Nos Próximos Dois Anos

As fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM investirão R$ 40 milhões no País nos próximos dois anos. O aporte será destinado a inovações tecnológicas, capacitação profissional e desenvolvimento de novos produtos de médio e alto valor agregado.

O anúncio foi realizado pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, durante a abertura da 10ª edição do Shimano Fest, o maior evento de bicicletas da América Latina, realizado de 22 a 25 de agosto no Memorial da América Latina, na zona Oeste da cidade de São Paulo.

Este novo investimento se soma aos R$ 200 milhões já aplicados pelas fabricantes nos últimos cincos anos, totalizando aproximadamente R$ 250 milhões em uma década. Com isso, a indústria nacional de bicicletas se torna ainda mais competitiva em relação às marcas globais, fazendo com que os produtos nacionais sejam mais desejados e valorizados pelos brasileiros.

Prova disso é o volume de bicicletas fabricadas no PIM, que não para de crescer: segundo números da entidade, a produção saltou mais de 25% nos últimos oito anos, saindo de 617.858, em 2010, para 773.641, em 2018, correspondendo a um acréscimo de mais de 150 mil unidades.

Para o presente ano, a projeção da Abraciclo aponta para mais crescimento, acima de 10%, com um volume total a ser produzido de 857.000 bicicletas. Com este volume e os investimentos em tecnologia e modernização, está se consolidando em Manaus o maior polo de produção de bicicletas do Ocidente.

No ano passado, o faturamento das fábricas de bicicletas instaladas no PIM alcançou R$ 655 milhões. Atualmente, o setor gera aproximadamente 1,1 mil empregos diretos e mais de 3,5 mil indiretos.

Responsáveis pelo atendimento de mais de 40% do mercado nacional de bicicletas, as fabricantes do PIM têm investido seguidamente em tecnologias de ponta, com aplicação de materiais nobres e mais leves, como alumínio e fibra de carbono, que garantem mais conforto, segurança e eficiência aos produtos.

Da lista das modernidades adotadas pelas empresas nas linhas de produção destacam-se a montagem de rodas de carbono por robôs, a solda de alumínio, o clear coat, sistema que garante adesivagem mais eficiente, e o tratamento T4, processo que assegura alinhamento perfeito do quadro da bicicleta.

Na avaliação de Cyro Gazola, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo, “estas melhorias contínuas nos produtos fazem com que naturalmente ocorra uma preferência crescente pelas bicicletas nacionais. Isso pode ser comprovado pelo volume de produção, que avança ano a ano”.

O vice-presidente explica ainda que “estas empresas buscam aprimoramento constante para atender ao consumidor cada vez mais exigente, que busca produtos inovadores e de qualidade mundial”. As fabricantes nacionais contam com equipes próprias de Engenharia e Desenvolvimento, que acompanham e estudam as tendências globais. “Além disso, há parcerias com universidades e instituições de pesquisa e inovação”, revela Gazola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *