Homenagem ao meu avô – Por Arthur Bisneto

Sempre tive orgulho da trajetória de vida do meu avô, Arthur Virgílio do Carmo Filho. Convivi com ele na minha infância e depois ouvi meu pai relatar sobre a atuação dele no parlamento. Nesta semana, nossa família viveu um novo momento de emoção. Acompanhamos na Câmara Federal, em Brasília, o lançamento do livro sobre o perfil parlamentar do meu avô, de autoria do jornalista Mário Adolfo. A obra traz um ensaio biográfico sobre o parlamentar e principais discursos dele na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Arthur Bisneto – Deputado Estadual (PSDB-AM)
Arthur Bisneto – Deputado Estadual (PSDB-AM)

Meu avô foi deputado da Assembleia Constituinte do Amazonas e depois se elegeu deputado federal e senador em 1962. Para mim, é uma honra fazer parte deste clã, que mudou a história do Brasil. Durante o mandato parlamentar, trouxe às duas casas do Congresso Nacional à discussão de temas como a ditadura militar, a reforma agrária, a inflação, a perda da hegemonia brasileira no mercado mundial da borracha, a criminalidade, a falta de amparo ao trabalhador e a tentativa de destruição da Petrobras pelas Forças Armadas.

Cassado pelo Ato Institucional n° 5, a Ditadura Militar, meu avô teve seus direitos suspensos por 10 anos. Em 1979, sob o governo Figueiredo, foi beneficiado pela anistia e, no governo Sarney, exerceu a presidência do INPS no período de 1985 a março de 1987. Por ironia do destino, ele nos deixou no dia 31 de março de 87, há exatos 23 anos do mesmo dia em que ocorreu o golpe militar.

Esta homenagem realizada em Brasília foi uma forma não só de resgatar a história de um parlamentar, que foi perseguido no regime militar, mas, mesmo assim, não desistiu dos seus ideais. Durante o discurso, em Brasília, vi meu pai ir às lágrimas. Era um choro de emoção, mas também de saudades.

Fazer parte dessa família e carregar a quarta geração deste nome só me dá cada vez mais vontade de continuar. Hoje, como deputado estadual venho dando continuidade a essa trajetória iniciada pelo meu bisavô. Tenho um respeito muito grande pelo passado, não só em relação a minha família, mas de modo geral. São eles que construíram a nossa história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *