Exploração sexual de crianças e adolescentes é discutida na Aleam

Os desafios do combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes foram debatidos em audiência pública, na tarde desta sexta-feira (31), no Plenário Ruy Araújo da Aleam. A iniciativa da proposta foi do presidente da Comissão de Promoção e Defesa dos Direitos das Crianças, Adolescentes e Jovens da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado estadual Álvaro Campelo.

O debate contou com a presença de órgãos e entidades que compõem a Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente no Estado do Amazonas.

Todos os participantes externaram uma grande preocupação com as estatísticas de violência sexual e propuseram ações para enfrentar o problema.

Álvaro Campelo destacou a contribuição do evento para fortalecimento da Rede de Proteção. “Esta é a primeira audiência pública que estamos realizando na Assembleia sobre o tema. Nosso próximo passo é levar essa discussão aos municípios do interior do Estado, onde infelizmente muitos casos acontecem e não são comunicados às autoridades competentes. O debate gera a informação e a informação é essencial para prevenir esses crimes”, disse o deputado.

De acordo com o parlamentar, uma cultura de tolerância está enraizada em muitas localidades do interior e isso precisa ser combatido com mais efetividade. “Muitas pessoas deixam de denunciar e se calam diante dessas atrocidades, por acharem que é algo natural. Estamos diante de crimes contra crianças, jovens adolescentes que precisam ser denunciados para que os responsáveis tenham a punição exemplar, evitando que novos casos aconteçam”, concluiu Campelo.

Para a presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA), Amanda Ferreira, é necessária a união de todas as entidades para fortalecer o trabalho da Rede de Proteção, além da adoção de medidas mais enérgicas contra os criminosos. “Essa audiência oportunizou uma ampla discussão sobre o tema, propondo formas de viabilizar a efetivação de políticas públicas de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes”, concluiu Amanda.

Ranking da exploração sexual de crianças e adolescentes no Amazonas

De acordo com uma pesquisa feita pela Policia Rodoviária Federal, em parceria com a ONG Childhood Brasil, o Estado do Amazonas, ocupa o 2° lugar no ranking de exploração sexual infantil, com 71% dos casos registrados, ficando atrás somente de Rondônia, com 91% das ocorrências.

Desde o dia 14 de maio, o Disque-Denúncia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes atende por um novo número – 100, que funciona todos os dias, das 8h às 22h, inclusive nos feriados. O serviço é gratuito e atende chamadas de todo o país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *