DRCO prende “Marcelinho” em SC e Desvenda Massacre de 56 presos em Manaus

Apontado como mandante da chacina de 56 presos no sistema prisional de Manaus, Marcelo Frederico Laborda Junior, o “Marcelinho”, foi preso por policiais civis do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), em Santa Catarina.

“Marcelinho”  foi preso nesta sexta-feira (28) durante a operação “Guará” que ocorre também no Maranhão, Ceará, e Amazonas.

Também foi presa Cléia Fernandes Barbosa, irmã do traficante José Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto”,  o número da Família do Norte (FDN).

“Marcelinho” é considerado um dos mais sanguinários traficantes do Amazonas. Além de ordenar o massacre de maio, também, é apontado como o mandante de outros 50 assassinados na capital amazonense, principalmente traficantes rivais do Centro de Manaus.

O DRCO  do Amazonas juntamente com a Polícia piauiense descobriram o motivo pelo qual ocorreu a chacina de 56 presos no presídio do Amazonas no último mês de maio.

De acordo com policiais do DRCO , o massacre ocorrido no Amazonas teve como um dos ‘estopins’ a morte de um dos membros da faccção criminosa [considerado um dos maiores traficantes de drogas do país] que foi vítima de uma emboscada em Teresina. 

“Um dos membros da facção criminosa veio de avião a Teresina com documento falso para participar de um assalto milionário. Só que não existia esse roubo. Ele veio enganado, foi vítima de uma emboscada por membros da própria facção que está em guerra interna, ou seja, existe mais de um líder dentro desse grupo brigando pelo poder”,  afirmou um policial do DRCO

O amazonense morto em Teresina, em maio deste ano, teve o corpo encontrado na estrada de Caxias, no Maranhão. Antes da execução, ele foi torturado e obrigado a gravar um vídeo que repercutiu no sistema prisional do Amazonas e, em retaliação, ocorreram as 56 mortes. 

“O vídeo mostra ele amarrado, com o rosto sangrando e bastante machucado. Ele foi obrigado a dar declarações sobre a facção criminosa, que a esposa de um dos membros dessa facção traía o marido e em seguida foi morto”,  disse a fonte

Além dessa morte, um segundo amazonense também foi executado no estado do Piauí. 

A operação Guará é comandanda pela Delegacia de Combate ao Crime Organizando do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas, em parceria com a Secretaria  de Segurança Pública do Estado do Piauí.

Os presos estão sendo autuados na sede do Grupo de Repressão ao Crime Organizado(Greco).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *