David Almeida visita municípios em emergência devido a cheia

Os municípios de Anamã e Caapiranga, no rio Solimões, que se encontram em situação de emergência por conta da cheia, foram visitados neste domingo (4), pelo governador David Almeida.  David chegou aos municípios na companhia de secretários, como de Saúde, Vander Alves e o de Educação, Arone Bentes, para acompanhar as ações da Defesa Civil e ver de perto a situação dos municípios.

“Precisamos ajudar essa população. O governo está preocupado com a situação das famílias e nós queremos dar o suporte necessário para que, juntamente com as prefeituras possamos minorar e diminuir o sofrimento da população”, disse o governador, ao ressaltar que optou em ir pessoalmente para ter uma exata noção da situação.

Anamã já registra 1.063 famílias afetadas pela enchente (Foto: Divulgação/ Secom)

“A gente, olhando de perto a situação, visitando os hospitais, os alagados,  é melhor do que alguém falar pra você. Pois, só sabendo a necessidade da população é que conseguiremos resolver os problemas”, disse o governador, que esteve primeiro em Anamã, um dos mais castigados pela cheia no Amazonas.

Além das ações emergenciais, o governador foi ver in loco algumas situações específicas, como a da unidade de saúde fluvial que, que chegou a Anamã há alguns dias, mas que está precisando de  equipamentos e mobília para entrar em funcionamento.

“Vamos buscar as soluções o mais rápido possível para que a unidade entre em funcionamento de forma plena e possa ajudar nas ações, não apenas na cheia, mas também na seca, onde os problemas de saúde costumam aparecer”, disse o secretário Estadual de Saúde Vander Alves.

Um lote de medicamentos recém-adquiridos pelo governo do Estado já começaram a chegar nos municípios e, em torno de dez dias, devem começar a chegar novas remessas, conforme a necessidade apontada pelas secretarias. “A direção dos hospitais e as secretarias dos municípios vão encaminhar à Secretaria Estadual de Saúde, a lista com os medicamentos necessários”, disse Vander Alves, que garantiu que também vai revisar a necessidade de novos médicos para Anamã e agilizar a realização de exames que não estão podendo ser feitos por falta de profissionais especializados.

Já em Caapiranga, uma das prioridades é colocar o mamógrafo para funcionar, o que deve ser feito com o envio, até sexta-feira, de um estabilizador para que o equipamento possa funcionar com 100% de segurança. O hospital do município já recebeu medicamentos e está funcionando com quase 100% da sua capacidade, incluindo o centro cirúrgico. A diretoria da unidade ficou de encaminhar uma nova lista de medicamentos para a Susam enviar.

O secretário Estadual de Educação, Arone Bentes, que também integrou a comitiva, aproveitou a ocasião para uma reunião de trabalho com diretores de escolas de Anamã para ouvir as demandas. O calendário escolar no município é diferenciado por conta da enchente, o que, segundo o secretário, não chega a prejudicar o ano letivo.

Ações da Defesa Civil

No Amazonas, até o momento, segundo os dados da Defesa Civil do Estado, 32 cidades decretaram Situação de Emergência devido à cheia dos rios este ano, totalizando 57.826 mil famílias atingidas. Com avanço da enchente, o governo intensifica as ações de ajuda humanitária nas cidades afetadas.

Defesa Civil, Ministério da Saúde, Fundação de Vigilância em Saúde, Secretaria de Estado da Saúde (Susam) e as prefeituras estão atuando de forma integrada para o atendimento nos municípios.

Anamã, um dos mais castigados, já registra 1.063 famílias afetadas pela enchente. Para a cidade que teve o decreto de Situação de Emergência homologado pelo Estado no dia 19 de maio, a Defesa Civil já enviou nesse primeiro atendimento, 30 toneladas de cestas, 2 mil unidades de água, 1000 redes, 1.000 mosqueteiros, um kit medicamento, 300 kit’s limpeza, 300 kit’s dormitórios, 100 colchões, 2.200 unidades hipoclorito de sódio (para purificar a água) e mais 300 kit’s higiene.

Caapiranga tem 287 famílias afetadas e foram enviadas na primeira etapa de atendimento, 8 toneladas de alimentos, e também 145 kit’s dormitórios, 400 kit’s higiene, 400 kit’s de limpeza, 145 colchões, 01 kit medicamento, 600 garrafões de água de 5 litros e hipoclorito de sódio (para purificar a água).

 

Com Informações do Parintins 24hs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *