Conheça a dieta detox

O detox promove uma faxina interna no seu organismo, blinda o sistema imune, aumenta o pique e deixa você mais bonita

Excesso de alimentos industrializados e com agrotóxicos, stress, poluição, medicamentos… A não ser que você viva numa praia deserta, esses ingredientes devem fazer parte do seu cotidiano. Tantas agressões sobrecarregam o organismo, que uma hora dá sinais de cansaço – insônia, inchaço, fadiga, dificuldade de digestão, falta de concentração e dores de cabeça são alguns deles.

O que você pode e o que você não pode comer na dieta detox Ilustração: Erika Onodera
O que você pode e o que você não pode comer na dieta detox
Ilustração: Erika Onodera

A solução pode estar numa dieta. A detoxificação, ou simplesmente detox, é uma técnica de nutrição funcional. Seu objetivo principal é ajudar o organismo a se livrar mais facilmente de toxinas e outras substâncias não bem-vindas ao corpo. Dessa maneira, os diversos órgãos afetados conseguem se purificar e trabalhar melhor. Além disso, você pode perder medidas.

Não é fácil encarar o plano. Mas, se você superar a tentação e limar alguns de seus petiscos prediletos do dia a dia, o resultado promete ser animador. O processo de detox melhora o sono, concentração, memória e funcionamento intestinal. Reduz inchaço, olheiras, inflamações, celulite e dores articulares, musculares e de cabeça.

O tempo de duração do regime depende da alimentação que o paciente vem seguindo, mas varia de uma a quatro semanas. Mas antes de tirar ingredientes do cardápio, é fundamental consultar-se com um profissional. Só ele é capaz de orientar a dieta adequada, especialmente por se tratar de um programa mais restritivo.

Alimentos proibidos
· Café, alcool, frituras, shoyu
· Trigo – em grão, farelo ou farinha
· Refinados – arroz branco, por exemplo
· Leite de soja – tofu também não é permitido
· Carne vermelha – ela muda o pH do sangue
· Açúcar – todos, inclusive o mascavo e os adoçantes
· Leite e derivados – manteiga, margarina, queijo
· Todos os alimentos que contenham glúten, inclusive aveia, pães e bolos
· Alimentos industrializados – caldos de carne e tudo o que for enlatado. O atum pode entrar numa emergência

Alimentos liberados
· Quinoa e amaranto
· Mel – em pequenas quantidades
· Lentilha, grão-de-bico e ervilha
· Carne de peixe e de frango orgânico
· Frutas – de preferência as da época
· Arroz – integral, preto, vermelho, selvagem
· Feijão – carioca, feijão-preto, feijão-branco
· Temperos – sal, vinagre de maçã, azeite e todas as ervas naturais
· Bebidas – água, água com limão, água de coco, chá verde e sucos naturais
· Oleaginosas – noz, semente de abóbora e de girassol, amêndoa, castanhas-do-pará e de caju
· Vegetais – frescos ou congelados, sobretudo os verde-escuros (brócolis, rúcula, couve-manteiga)

Dicas para cumprir a dieta
· Os chás e sucos ajudam a hidratar e a repor vitaminas e sais minerais.
· Frutas e generosas doses de água vão ajudar rins e intestinos a funcionarem melhor
· Capriche nos temperos como a cúrcuma, com propriedades antioxidantes, além de alho, cebola e alecrim
· Folhas verdes e legumes específicos, como couve-flor, nabo, rabanete e repolho são ricos em enxofre orgânico, útil no processo de limpeza.

Com Informações da Revistas Womenshealth

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *