Comissão de Defesa da Criança e Adolescente realiza ação no Dia do Autismo

No Dia Mundial de Conscientização do Autismo, a Comissão de Promoção e Defesa dos Direitos das Crianças, Adolescentes e Jovens da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM), realizou na manhã desta terça-feira (2), uma ação de panfletagem na Arena da Amazônia, na Avenida Constantino, Zona Centro-Oeste. O objetivo da ação foi sensibilizar e mobilizar a sociedade para a importância da data e sobre os direitos das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

A programação iniciou às 7h, abordando motoristas, passageiros de ônibus, táxis e pedestres para falar sobre o transtorno e distribuir a cartilha de conscientização. Na ação houve a presença da ‘Associação Superando Limites’ e outras entidades. À tarde, uma nova panfletagem ocorreu na Rua Salvador, no bairro de Adrianópolis, em conjunto com a Secretaria da Pessoa com Deficiência (Seped).

Álvaro Campelo também reforçou a importância da data em discurso da tribuna do Plenário Ruy Araujo na Aleam. Segundo o deputado, uma pesquisa feita pela cientista Stephanie Seneff, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts MIT), atestou que até 2025, 50% das crianças nascerão com o espectro autista.

Para o parlamentar, os dados da pesquisa precisam ser encarados com mais seriedade e responsabilidade. “É algo que nos alarma e nos assusta, precisando de uma postura efetiva por parte dos grandes pesquisadores e do Governo Federal de constatar se isso realmente é uma verdade absoluta. Em sendo, deve-se banir essa substância (glifosato) que está presente em nossa alimentação e tem causado mal à sociedade no mundo inteiro”, disse Campelo.

Álvaro Campelo ressaltou, ainda, uma pesquisa divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mostrando um crescimento de 37% de crianças autistas nas escolas. De acordo com ele, a acessibilidade nas escolas é necessária para o desenvolvimento dessas crianças, já que o autismo não tem cura. “Medidas precisam ser implantadas para que essas escolas possam dar o suporte necessário a pessoas com Transtorno do Espectro Autista. Não basta apenas colocar essas crianças em sala de aula, é necessário que essa inclusão, possa envolver adaptações dos conteúdos e na formação correta desses professores”, finalizou o parlamentar.

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que haja no mundo cerca de 70 milhões de pessoas com Transtornos do Espectro Autista (TEA) e por isso instituiu, em 2008, o Dia Mundial de Conscientização do Autismo (2 de abril). No Brasil, são dois milhões que sofrem com algum ponto desse espectro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *