Choy rebate críticas na internet sobre posicionamentos e defesa do Caso Flávio

Depois que críticas circularam na internet e em grupos de aplicativos de mensagens por suas manifestações em relação às mortes de 17 pessoas em ação policial e seu envolvimento como advogado no caso que envolve o filho da primeira-dama de Manaus, o presidente da OAB Amazonas, Marco Aurélio Choy se manifestou nas redes sociais. Em seu texto, o jurista reafirma seu compromisso com o direito de imprensa, mas também com a instituição que preside e com o seu livre exercício da profissão.

LEIA O TEXTO DO PRESIDENTE DA OAB

O processo sistemático de críticas, oriundas de determinados grupos identificados me permitem o direito de indignação, justamente, pela tentativa de constranger o livre exercício da minha atividade de Advogado, na defesa do investigado Alejandro – onde a figura do Defensor ganhou um protagonismo maior que a busca pela própria verdade dos fatos; na data de hoje recebi uma charge oriunda de um blog local questionando a atuação da gestão da OAB/AM que com muita honra Presido; como satisfação aos Advogados e Advogadas do Amazonas e a nossa sociedade amazonense venho esclarecer: 1) quanto ao caso da morte de 17 pessoas em ação policial no bairro da Betânia sempre me manifestei com cautela no aguardo dos laudos periciais (especialmente os residuográficos) antes de qualquer atribuição de culpa a quem quer que seja; 2) quanto a defesa da liberdade de imprensa, minha história sempre se pautou pela defesa deste primado do Estado de Direito, não devendo me manifestar sobre matéria já judicializada e em questão processual entre as partes e os veículos de comunicação em processo (do qual eu não advogo) – a liberdade de imprensa e, sobretudo, a responsabilidade pelo seu conteúdo são valores que devem ser respeitados; Registro que a OAB não sou apenas eu, que a OAB somos os mais de 15mil Advogados e Advogadas do Amazonas e que trabalho todos os dias para honrar essa missão que me foi confiada! Aos que apostam no mal, no crescimento político à custa de um ser humano, brutalmente, assassinado, esperamos a libertadora verdade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *