Chico Preto apresenta projeto que propõe ensino do jiu-jítsu brasileiro nas escolas públicas de Manaus

Faixa-preta de jiu-jítsu e praticante do esporte há mais de 20 anos, o vereador Chico Preto (PMN) apresentou nesta terça-feira (2), na Mesa Diretora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o Projeto de Lei nº 105/2019 que visa reconhecer o caráter educacional e formativo do jiu-jítsu brasileiro, e dispõe sobre a celebração de parcerias para que a “arte suave” seja ensinada nas escolas públicas da cidade.

Na avaliação do parlamentar, o ensino do jiu-jítsu brasileiro será uma ferramenta eficaz para complementar a formação clássica, já que estimula a disciplina, superação e autoconfiança dos seus praticantes. Ele destacou, ainda, que em países como Emirados Árabes e Catar o esporte já é utilizado como auxílio pedagógico.

“O jiu-jítsu devolve valores que, infelizmente, há muito tempo essa educação permissiva implementada no Brasil vem perdendo. Chegou a hora de Manaus avançar nisso. O Projeto não traz custo para Prefeitura, porquanto não obriga que seja feita a prática do jiu-jítsu, mas abre a possibilidade que federações de jiu-jítsu construam com a direção das escolas a possibilidade de celebração de convênios para que o esporte ensinado nas unidades de ensino”, explicou.

Chico Preto lembrou que o prefeito Arthur Neto (PSDB) também é faixa-preta de jiu-jítsu e destacou que a firmeza nas convicções do chefe do Executivo Municipal são frutos da prática do esporte.

“O prefeito Arthur Neto é adepto e tem na sua caminhada de vida a indelével prática do jiu-jítsu. Há relatos que dão conta de que o prefeito era um exímio passador de guarda. Por isso você vê o prefeito de Manaus – por mais que eu discorde muito de suas ideias -, um homem firme nas suas convicções e certamente o jiu-jítsu, ao lado da formação familiar e da escola, lapidou a formação do caráter do prefeito e lapida de homens e mulheres que se dedicam a essa prática”, concluiu.

Apoio
O Projeto de Lei recebeu apoio dos vereadores Professor Fransuá (PV) e Wallace Oliveira (Podemos), que informaram que votarão favoráveis à sua aprovação.

“É um esporte que é praticado por milhares de jovens na nossa cidade. Sou faixa-preta de jiu-jítsu e o que aprendi é respeitar o próximo e utilizar o jiu-jítsu como defesa”, disse Fransuá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *