Associação confere de perto a situação da BR-319 que está em péssimas condições

Trafegar pela BR-319 tornou-se um dos maiores obstáculos para muitos condutores de veículos que necessitam viajar por ela. Uma das principais preocupações é as condições que encontra-se a BR, dificultando a trafegabilidade dos viajantes, devido aos atoleiros com dimensões superiores a 20 metros de extensão: buracos com mais de 20 centímetros de profundidade; bueiros cedendo e formando depressão na pista de rodagem e erosões nas laterais da rodovia comprometendo parte do leito estradal e demais situações dificultando a viabilidade em vários trechos da Estrada.

O presidente da Associação “Amigos e Defensores da BR-319: Um Direito Nosso”, André Marsílio, percorreu a rodovia do dia 24 de fevereiro a 1º de março. O objetivo foi observar as condições de trafegabilidade, observar in loco as obras de manutenção executadas pelas construtoras contratadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e estabelecer diálogo com os moradores que habitam às margens da rodovia, além de obter informações atuais que possam orientar e informar os motoristas que utilizam a estrada.
A “aventura” originou a elaboração de um vasto relatório com informações exclusivas das reais condições da rodovia BR-319 nesse período do inverno amazônico.
“A rodovia está praticamente intrafegável. Fizemos está viagem para mostrar de perto essa situação da rodovia no período de chuva. Vamos ao MPF pedir que o procurador possa sugerir um termo de ajustamento de conduta ao IBAMA e DNIT para o término no estudo de comunidades indígenas imediatamente e comece o processo de pavimentação da rodovia”. Disse.

Matéria: Romário Vieira / Portal do Amazonas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *