Sharon van Rouwendaal vence Rio Negro Champions e protagoniza espetáculo ao lado de Ana Marcela Cunha 

Um verdadeiro espetáculo da natação em águas abertas foi protagonizado neste final de semana, 08 e 09, com o Rio Negro Challenge. Ao todo, 376 atletas de 14 estados e três países participaram de cinco provas na Ponta Negra. Uma das mais esperadas, a Rio Negro Champions (8,5km), entre Sharon van Rouwendaal e Ana Marcela Cunha, consagrou a holandesa como a grande campeã do desafio internacional, fechando com chave de ouro o ano da medalhista olímpica.

Durante todo o trajeto da Champions, a brasileira e a holandesa ficaram parelhas, proporcionando ao público uma disputa emocionante. Entre as braçadas fortes e a expectativa de quem chegaria primeiro, Sharon faturou a prova com um segundo de diferença, fechando em 2h08min07seg, enquanto Ana Marcela em 2h08min08seg.

“Eu estou muito feliz com resultado, pois eu não sabia o que esperar do Rio Negro. Nunca havia nadado, não sabia nada sobre a corrente, mas acho que toda a energia que recebi me ajudou chegar e fazer essa final. No início da prova fiquei com um pouco de medo da água escura, pesada, porém deu tudo certo e posso dizer que esse é um bom local para treinar para as Olimpíadas de Tokyo (2020), pois o cenário é semelhante”, frisou Sharon.

Tetracampeã mundial, Ana Marcela Cunha comentou que o desafio foi uma prova diferente do habitual, pois a realidade das atletas é estar em pelotão com mais de 20 nadadoras de alto nível, e acredita que cumpriu seu papel representando o Brasil.

“Foi uma prova totalmente diferente. Sou acostumada a nadar no vácuo e tive que vir puxando o tempo todo, me impondo. O mais legal, é que numa disputa entre uma campeã olímpica e uma mundial, o resultado vem de uma batida de mão, ou seja, prova bem disputada”.

Almirante Tamandaré

Na ‘briga’ pela tradicional Almirante Tamandaré o pódio ficou para atletas de fora. A geral feminina foi dominada por uma das mais expressivas nadadoras de Portugal, a atleta Angélica André, que fechou em 02h10min19seg. O masculino foi vencido pelo carioca Adherbal Treidler, que finalizou em 02h15min12seg.

“Essa prova foi muito importante para mim, devido a água quente que não estou acostumada. Foi realmente muito bom nadar aqui, adquirir experiência e fiquei satisfeita”, destacou Angélica.

Para Adherbal, 48, o Rio Negro Challenge deve ser considerado como uma prova de referência “Eu já nadei muitas provas em todo Brasil, e estava ansioso para nadar aqui, num lugar tão lindo. Posso falar que essa prova é de nível internacional, com alta segurança. O atleta em momento algum fica desamparado e a estrutura é muito boa mesmo”, elogiou o carioca.

Maratona Aquática

Pela Maratona Aquática de 3km quem se deu bem foi Isabele Farias (La Salle) e Álvaro Lucas (Sinpol/RR), que marcaram 39min45seg e 34min45seg respectivamente. Com o título, a jovem de 15 anos soma quatro pódios no Rio Negro Challenge.

“Eu ganhei com um tempo muito bom e estou realmente feliz. Comecei a participar do evento com 13 anos e venci três vezes a dos 1,5km e agora resolvi enfrentar a de 3km e ganhei tambem. No começo da prova de hoje, fui mordida por um peixe, mas isso me incentivou a ir mais rápido e forcei”, comentou Isabele.

Na disputa pelos 1,5km a conquista foi em família. Isso porque, os irmãos Emily Rabelo e Erick Rabelo foram os primeiros a cruzar a linha de chegada, fechando a prova em 20min31 e 18min37. A dupla campeã veio diretamente de Roraima (Sinpol/RR) para disputar pela primeira vez a competição. Os 783km  de carro valeram a pena.

“A viagem foi cansativa, mas poder estar aqui hoje foi muito bom. Eu acredito que fui exemplo para minha irmã, pois ela começou a nadar após eu iniciar, e fica mais fácil treinar quando a família é envolvida com o esporte. Essa é nossa primeira vez no Rio Negro Challenge e agora queremos voltar para tentar outros títulos”, disse Erick.

Relay 3×500

Disputada no sábado, o Relay 3×500 aconteceu pela primeira vez e foi um verdadeiro sucesso. Na categoria masculina a equipe vencedora foi a  Macuxi, formada por Vitor Gadelha, Thiago Nicolau e Matheus Andrade, que marcaram 22min06seg. Enquanto que a feminina foi dominada pela Aquática Amazonas, composta por Eduarda Flores, Julia Sakamoto e Yasmim Beatriz, cravando 25min01.

“Treinei três meses para essa prova, foi bem dura e dei meu máximo. Cheguei realmente esgotado, pois os nossos dois primeiros nadadores do revezamento chegaram em terceiro e eu tentei recuperar esse tempo. Deu certo e foi algo significativo para a gente”, disse Thiago Nicolau, que ano que vem pretende encarar a  Travessia Almirante Tamandaré.

Para o organizador, Pierre Gadelha, o evento se destaca pelo profissionalismo e qualidade técnica. “Realmente foi um espetáculo tudo o que aconteceu nesses últimos dois dias. Usamos o que tinha de melhor para registrar tempo, trouxemos dois grandes ícones do esporte, contamos com várias referências esportivas e provamos a segurança do evento. Não tenho palavras para agradecer toda a confiança e podem esperar sempre mais do Rio Negro Challenge”, frisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *