Saiba diferença entre cristão e católico

Em Atos dos Apóstolos (11,26) vemos que foi na cidade de Antioquia que os discípulos de Jesus foram, pela primeira vez, chamados de cristãos. Então percebemos que cristão não é um título, mas sim uma forma de viver, uma conduta pautada na pessoa de Jesus Cristo.

Foto: Shutterstock

Então o que realmente é ser cristão? Ser cristão não é apenas dizer que acredita em Jesus, ou que acha interessante o que ele fez e falou. A fé em Jesus deve levar a um testemunho dele numa comunidade que também acredita nele, como disse Jesus: “onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, Eu estarei no meio deles” (Mt 18, 20). Sendo assim, ser cristão é seguir Jesus e identificar-se com ele. Ser cristão é estar comprometido com a Verdade que é Cristo. A fé em Jesus deve gerar comprometimento com a causa do Reino de Deus. Ser cristão é querer ser continuador de sua missão e do seu jeito de amar no mundo. A pessoa se torna cristã no dia do seu batismo, quando passa a deixar o Espirito Santo de Deus conduzir sua vida.

Todo católico é cristão, mas nem todo cristão é católico. Pois alguns seguidores de Jesus não pertencem a Igreja Católica. Muitos seguidores de Jesus se identificam como cristãos, mas não como católicos, como é o caso dos protestantes e ortodoxos.

O cristão católico aceita a plenitude da fé revelada por Cristo e contida: na Sagrada Escritura, no Magistério da Igreja e na Tradição. O Católico participa dos Sacramentos e reconhece a autoridade do Papa (sucessor de Pedro) e dos Bispos (sucessores dos apóstolos).

A Igreja constituída pelos cristãos católicos é una – santa – católica e apostólica. Essas quatro características são tomadas da profissão de fé dos Concílios de Nicéia e Constantinopla e mostram 4 aspectos fundamentais da Igreja Católica: sua unidade, sua santidade, sua universalidade e sua base apostólica (nos discípulos que viram e tocaram Cristo).

A Igreja se chama católica porque acolhe em seu interior todos os seguidores de Cristo, de todos os tempos e lugares. “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a todos os povos” (Mc 16,15).

Então, muito mais do que falar de diferenças, devemos olhar nossa semelhança que está na fé em Jesus Cristo e no desejo de continuar levando seu Evangelho a todas as pessoas. Que Cristãos e Católicos em todos os tempos e lugares, possam realmente dar testemunho de pertença a Cristo e de sinceridade em fazer a vontade do Pai, vivendo sempre o mandamento do amor e do respeito ao próximo. Pois Jesus disse que nossa maior identidade de discípulo está na vivência do amor:“Nisto reconhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” (Jo 13,35).

 

Pe. Luiz Camilo Júnior, C.s.S.R
Com Informações do A12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *