Rua do Centro Histórico de Manaus recebe iluminação especial nesta segunda

Das 18h até às 22h desta segunda-feira (15), quatro achadas abandonadas da Rua Visconde de Mauá, localizada no Centro Histórico de Manaus receberão uma iluminação especial.

Fachadas receberão iluminação especial durante a ação – foto: Ruth Jucá
Fachadas receberão iluminação especial durante a ação – foto: Ruth Jucá

Tudo por causa da ação do 2º dia do projeto “Lugares que o dia não me deixa ver”, que está em sua 3ª edição. O projeto ocorre em todas as segundas-feiras do mês de setembro.

O diretor-geral do projeto, o ator e bailarino João Fernandes, destaca que as iluminações na rua serão projetadas na frente de cada fachada como se fossem uma espécie de “corrente” a interligar cada edificação, de modo a convidar as pessoas que transitarem pelo espaço a passar na frente de cada fachada histórica.

“O grande ponto de referência da rua no passado foi o Museu do Porto de Manaus, e o projeto arquitetônico do local, resultante da Belle Époque”, assegura Fernandes.

Conhecida como a rua em que “Manaus começou”, a Visconde de Mauá, no período entre 1877 a 1920, ficava nas imediações da Fortaleza de São José da Barra do Rio Negro, segundo Geraldo dos Anjos, secretário-geral do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (IGHA).

“Nesse período, a cidade foi expandindo suas ruas, no sentido de partir da Visconde de Mauá até a rua Geraldo Ramos, e ir desmembrando outras. Era definitivamente a parte mais habitada da cidade. E a partir de 1906 houve a inauguração do Porto de Manaus, o que deu uma importância maior às redondezas”, pondera ele.

A ação “Lugares que o dia não me deixa ver” tem como principal premissa despertar a atenção da população e autoridades para a preservação e revitalização do patrimônio histórico da cidade. Para isso, são utilizadas técnicas de iluminação cênica – cujo efeito reaviva traços e formas de edifícios – e intervenções artísticas em frente às construções abandonadas que possuem valor histórico na capital e demais municípios amazonenses.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *