Mais de 650 suspeitos de assaltos a ônibus foram presos em 2017

Empresas registraram 2.171 assaltos a coletivos nos últimos sete meses em Manaus.

Em Manaus, 653 suspeitos de participar de assaltos a ônibus foram presos pelas Polícias Civil e Militar em Manaus neste ano. A informação é da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Empresas que operam o transporte coletivo da capital registraram 2.171 assaltos nos últimos sete meses. Motoristas de ônibus do transporte especial, que conduzem trabalhadores do Polo Industrial, também relatam assaltos constantes. Duas manifestações foram realizadas para protestar contra a falta de segurança na quarta-feira (16).

Coletivo tinha marcas dos tiros após crime em Manaus (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)

Segundo dados da SSP-AM, os assaltos aumentaram 30% em relação ao mesmo período do ano passado.

“A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e órgãos de segurança do Estado, como Polícia Militar, Polícia Civil e Detran, têm mantido as ações no sentido de diminuir os índices de assaltos a ônibus na capital, em todas as modalidades de transporte”, diz nota enviada pela SSP para a Rede Amazônica.

Assaltos a coletivos

Entre os meses de janeiro e julho de 2017, as dez empresas que operam o transporte coletivo de Manaus registraram 2.171 assaltos, segundo boletim divulgado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

O levantamento mostra, ainda, que apenas no mês de julho, foram registrados 356 assaltos, uma média de 11 por dia. O prejuízo já chega a quase R$ 610 mil reais.

O presidente do Sinetram, Carmine Furletti, destaca que em todas as ocorrências a polícia é informada e alguns casos são solucionados.

Protestos

Duas manifestações de motoristas de coletivos que trabalham no transporte especial foram realizadas em Manaus, nesta quarta-feira (16). Durate o segunda ato, iniciado por volta das 9h30, os manifestantes pararam veículos por uma hora nas avenidas Constantino Nery, Epaminondas e Leonardo Malcher próximo ao Terminal 1 (T1), no Centro. Houve congestionamentos em vários pontos da cidade. A categoria reclama de assaltos constantes. Um motorista foi baleado enquanto trabalhava no dia anterior.

Entre 6h e 7h, ocorreu a primeira manifestação na Zona Leste de Manaus. “A gente veio aqui, hoje, fazer esse protesto de uma hora para tentar chamar atenção do Polo Industrial e das autoridades para resolver, de uma vez todas, o problema de assalto a ônibus. Não tem que reduzir, tem que acabar. Não pode ter assalto a ônibus”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Especial, Turismo, Fretamento, Locadoras e Carros de Valores Intermunicipal de Manaus (Sindespecial), William Enock, durante o primeiro ato realizado nesta quarta.

A segunda paralisação foi encerrada às 10h30. Por volta de 11h, o trânsito ainda estava complicado em muitas ruas e avenidas da capital na área central e próxima ao Centro.

 

Com Informações do G1 Amazonas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *