Maioria da bancada federal do AM é contra uso do FTI pelo governo

Maioria dos parlamentares que formam a bancada amazonense no Congresso Nacional é contra o projeto do governador Wilson Lima (PSC), de tirar recursos R$ 350 milhões do Fundo de Fomento, Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI), para custear despesas com terceirização na área de Saúde.

O Projeto de Lei (PL) nº 43/2019, que substitui o PL nº 31/2019, foi protocolado na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) na tarde da última terça-feira (19) e tem previsão de ser votada em plenário na próxima quinta-feira (28).

Apenas os deputados José Ricardo (PT) e Delegado Pablo (PSL) foram a favor da medida, mas informaram que não pode ser algo permanente. O senador Omar Aziz (PSD) se pronunciou a respeito do assunto e disse que, “apesar do recurso não ser, inicialmente, para essa área, o governador tem que buscar meios para resolver a situação da saúde no Amazonas”.

Marcelo Ramos (PR), deputado federal, afirmou que “é um equívoco do governador, pois o governo tem um prejuízo enorme herdado da gestão passada”. Já o deputado Sidney Leite (PSD), diz que não pode ser favorável a medidas erradas, pois é um crime contra o Estado, mas que torce para que Wilson Lima faça um bom governo. Bosco Saraiva (Solidariedade), afirmou que “o FTI é um fundo criado para ser aplicado no interior do estado e seu objetivo deve ser mantido”.

Em nota, o deputado Silas Câmara (PRB) se posicionou “contra a qualquer movimento que possa retirar recursos dos municípios”. Silas destacou que “não é a favor da retirada dos recursos desses municípios para o uso na saúde e que os municípios sofridos do Amazonas estão  abandonados pelos Governos Federal e Estadual”.

Contra, o senador Plínio Valério (PSDB), disse que “é cobrir um santo descobrindo outro. Você não resolve o problema de um setor, criando ainda mais dificuldades para outros”.

Os parlamentares Alberto Neto (PRB) e Átila Lins (PP) e o senador Eduardo Braga (MDP) não responderam ao nosso contato.

Fonte: Agência Am1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *