Julho Verde chama atenção para o aumento dos casos de Câncer de Cabeça e Pescoço

14 milhões de brasileiros podem desenvolver o Câncer de cabeça e pescoço e a infecção pelo HPV é um importante fator de risco

A Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), em parceria com as coordenações estaduais, formadas por cirurgiões associados, desenvolvem neste mês de julho, uma ampla campanha de incentivo à prevenção contra o câncer de cabeça e pescoço. Nas capitais, a intenção é motivar pessoas em idades com maior prevalência da doença, a realizarem exames específicos para detecção de alguma anormalidade que possa ser tratada com rapidez e eficiência, o que aumenta as chances de cura.

De acordo com o coordenador estadual do ‘Julho Verde’, cirurgião de cabeça e pescoço, Jefferson Moreira de Medeiros, a associação de bebida alcoólica e cigarro é fatormultiplicador das chances de uma pessoa desenvolver algum tipo de câncer de cabeça e pescoço.

“É sabido que, consumir bebidas alcoólicas e fumar podem aumentar em até 20 vezes a chance de uma pessoa saudável desenvolver algum tipo de câncer de cabeça e pescoço. Outro fator de prevalência é a infecção pelo papilomavírus (HPV) que tem contribuído, nos últimos anos, com o aumento na incidência desta doença”, declarou Jefferson.

Ainda segundo o Cirurgião, outra doença que tem preocupado as autoridades em saúde em todo o mundo, é o câncer de tireoide. Nos últimos 30 anos, aumentou muito nos países industrializados. É o segundo mais comum, só perdendo para o câncer de mama, em mulheres jovens.

“Em análises globais, este tipo de câncer tem incidência maior em pessoas com idades entre 30 e 50 anos e é três vezes mais comum nas mulheres. No Brasil, o câncer de tireoide é o mais comum e, no Amazonas, o sexto mais incidente, na região da Cabeça e Pescoço”, alerta Jefferson Medeiros.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço alerta que é sintoma preocupante nódulo persistente no pescoço, principalmente quando não desaparece espontaneamente em até 21 dias, é endurecido e cresce progressivamente, além de lesão na boca que não cicatriza espontaneamente em até 21 dias, e rouquidão por mais de três semanas, em especial em fumantes e consumidores frequentes de bebidas alcoólicas.

“Tais manifestações servem de alerta para a procura com urgência de um cirurgião de cabeça e pescoço, já que podem ser indicativos da doença”, alerta o presidente da SBCCP, Fernando Walder.

Diagnóstico e Tratamento – O diagnóstico precoce e o rápido início do tratamento são fundamentais para a cura do câncer de cabeça e pescoço. Estudos epidemiológicos demonstram que a infecção pelo HPV já é a principal responsável pelo desenvolvimento do carcinoma espinocelular, que é o tipo de tumor mais frequente (cerca de 90% dos casos), especificamente na região da faringe, posterior à boca, nos Estados Unidos. O que é ainda mais preocupante é que atinge preferencialmente indivíduos jovens (menores que 45 anos). Os trabalhos brasileiros demonstram que cerca de 7% da população pode ter infecção pelo HPV detectada na boca.

“O número parece pequeno, mas em um contexto de 200 milhões de pessoas, esse percentual representa cerca de 14 milhões de indivíduos em risco de desenvolver a doença no Brasil”, explica o cirurgião de cabeça e pescoço, Leandro Luongo de Matos, coordenador da Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço – “Julho Verde”.

Julho Verde – O dia 27 de julho foi definido como o Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço no congresso mundial da especialidade, realizado em 2014, pela Federação Internacional das Sociedades Oncológicas de Cabeça e Pescoço. A SBCCP, este ano. comemora o Jubileu de Ouro e realiza a 3ª edição da Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço – “Julho Verde”, visando conscientizar a população sobre a doença, seus principais fatores de risco e como preveni-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *