Juiz Sérgio Moro pede para PF explicar gravação de Lula usada em filme

O juiz Sergio Moro e os atores Marcelo Serrado (que o interpreta no filme) e Ary Fontoura, que fará o papel de Lula (à direita) (Pablo Jacob/Ag. O Globo; Zé Carlos Baretta/Folhapress; Jefferson Coppola; Ricardo Bastos/Hoje Em Dia/Futurapress/VEJA)

Decisão foi tomada em pedido do petista para que o material não seja usado pela produção do filme “Polícia Federal – A Lei é Para Todos”, sobre a Lava Jato.

O juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância, deu prazo de cinco dias para que a Polícia Federal explique gravação feita durante a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em março de 2016, em desdobramento do processo que apura se o petista é dono de um apartamento triplex no Guarujá (SP).

O juiz Sergio Moro e os atores Marcelo Serrado (que o interpreta no filme) e Ary Fontoura, que fará o papel de Lula (à direita) (Pablo Jacob/Ag. O Globo; Zé Carlos Baretta/Folhapress; Jefferson Coppola; Ricardo Bastos/Hoje Em Dia/Futurapress/VEJA)

O prazo foi fixado após a defesa de Lula ter pedido na sexta-feira providências em relação ao filme “Polícia Federal – A Lei é Para Todos”, baseado na Lava Jato. O documento pede que a produtora New Group Cine & TV, responsável pelo longa-metragem, o diretor, Marcelo Antunez, e o produtor Tomislav Blazic “se abstenham imediatamente de utilizar a gravação que ilegalmente lhes fora cedida”.

A defesa de Lula aponta que a condução coercitiva não deveria ter sido filmada conforme determinação do próprio Moro, mas que a ação, não só foi registrada, como a gravação serviu de base para a principal cena do filme. “Afinal, se o Juízo se preocupou em evitar até eventuais filmagens realizadas por terceiros, inclusive em via pública, o que dirá de filmagens no interior da residência do peticionário [Lula]?”, questionam os defensores, para quem o vídeo ofende a “inviolabilidade” da residência do petista e sua divulgação o expõe a “tratamento vexatório, ferindo sua honra e sua dignidade”.

Para a defesa, ainda que se alegue que a captação das imagens tenha sido feita para atestar que não houve abuso de autoridade no cumprimento dos mandados, “não há como se admitir o vazamento de gravações que deveriam ser feitas sobre o mais rigoroso regime de sigilo”. “A quem interessa macular a imagem de Luiz Inácio Lula da Silva, justamente em um momento no qual todos os institutos de pesquisa o apontam em primeiro lugar na disputa presidencial de 2018, em trajetória indiscutivelmente ascendente?”, escrevem os advogados.

 

Com Informações do Portal Veja

Be the first to comment on "Juiz Sérgio Moro pede para PF explicar gravação de Lula usada em filme"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*