“Já me sinto com a faixa de governador”, diz Amazonino em encontro com apoiadores

O candidato ao governo do Amazonas, Amazonino Mendes afirmou, diante de um grupo de apoiadores, que o “medo é inimigo da derrota”. No encontro, ocorrido na última segunda-feira, 15 de outubro, ele disse: “Já me sinto com a faixa de governador. Eu sei o que estou falando”, disse o candidato do PDT, cantando vitória antes do resultado das urnas.

Amazonino terminou o primeiro turno atrás de Wilson Lima (PSC). A pesquisa do Instituto Pontual, divulgada recentemente, indicou Wilson Lima com 71,9% dos votos válidos, contra 28,1%.

Entre os presentes na reunião da última segunda-feira estariam 58 prefeitos de municípios do interior do Estado. Acompanhado do empresário Francisco Garcia, pai de Rebeca Garcia, candidata a vice em sua chapa, Amazonino ordenou que os prefeitos o escutassem e os coagiu a se “empenharem” em suas respectivas cidades para vencer a eleição.

Em seu discurso, transmitido ao vivo pela página do candidato no Facebook, Amazonino afirmou que não podia entrar em detalhes porque o assunto era secreto, mas afirmou que “Chicão”, se referindo a Francisco Garcia, iria “segurar as pontas” com os gestores. A íntegra do encontro não está disponível nas redes sociais do candidato.

Para Amazonino, José Melo foi “vitima”

Na mesma reunião, Amazonino Mendes revelou sua amizade com o governador cassado José Melo, que chegou a ser preso no ano passado, acusado de desvios de recursos públicos da saúde. Publicamente, Amazonino tem evitado falar sobre sua proximidade com José Melo, afirmando que não o apoiou na eleição de 2014.

Porém, no encontro com os apoiadores, Amazonino externou toda a sua piedade com o amigo de longa data. “Ele foi a grande vítima. Foi humilhado, preso e até hoje me refiro a ele com muita pena, porque não teve visão e nem a experiência que eu tenho”, frisou o candidato do 12.

A defesa fraternal de Amazonino com José Melo foi feita na presença de Alfredo Nascimento, ex-deputado federal que recentemente perdeu a eleição para o Senado e que chegou a ser citado nas investigações da Operação Lava Jato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *