Grupo protesta em delegacia após morte de jovem esfaqueado por padrasto

Familiares afirmam que o padrasto do jovem foi quem desferiu a facada.
Estudante teria tentado defender mãe e irmã; polícia pediu prisão preventiva.

Familiares e amigos do adolescente morto após facada no coração ao tentar defender mãe em briga com padrasto, na Zona Leste de Manaus, fizeram um protesto na frente da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na noite desta terça-feira (14). Familiares afirmam que o padrasto do jovem foi quem desferiu a facada. O suspeito fugiu após o crime e ainda não foi preso.

O crime ocorreu na casa onde a David Santos de Oliveira, de 16 anos, morava com a família, no bairro Nova Floresta, por volta das 10h15 da sexta-feira (11). Familiares querem a prisão do suspeito do crime.

A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do padrasto suspeito de matar o estudante David. De acordo com o delegado que investiga o caso, equipes fazem buscas pelo autor do crime.

Grupo de familiares e amigos usou cartazes para protestar (Foto: Rickardo Marques/G1 AM)
Grupo de familiares e amigos usou cartazes para protestar (Foto: Rickardo Marques/G1 AM)

“Estamos ouvindo testemunhas e estamos em busca do autor, que está foragido. A mãe da vítima já foi ouvida e disse que o autor chegou bêbado em casa e pegou uma faca. Ela inclusive disse que queria se separar e ele já havia ameaçado ela. Ele já possui boletim de ocorrência por lesão corporal, mas nada com relação a violência doméstica”, disse o delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Juan Valério.

Nonata Kelly Santos pediu justiça pela morte do filho de 16 anos (Foto: Rickardo Marques/G1 AM)
Nonata Kelly Santos pediu justiça pela morte do filho de 16 anos (Foto: Rickardo Marques/G1 AM)

Durante o protesto, a mãe do adolescente, Nonata Kelly Santos de 31 anos, relembrou do momento quando o filho foi esfaqueado. “Ele [adolescente] era muito calado, nunca teve desavença com ele [padrasto]. Ele era todo tempo calmo e nunca foi de briga. Uma pessoa com instinto assassino não ia pegar na cintura do assassino, ela ia pegar algo para se defender. Foi quando ele virou e deu uma facada no coração do meu filho, foi tudo tão rápido. Quando eu vi, ele já caiu morto no chão”, afirma.

Nonata também relatou ao G1 que David era um jovem tranquilo. “Ele não era de briga, era estudante do segundo ano. Ele às vezes brincava comigo e me abraçava. Esses dias ele estava carinhoso, me abraçou. Uma vez ele estava se vestindo para ir para aula e estava meio escorregadio o piso e ele escorregou de bunda. Eu fiquei rindo, ele foi lá e me abraçou e disse ‘poxa mãe, não manga de mim não’, só que eu ficava o tempo todo rindo. Ele era um bom filho”, disse a mãe do adolescente.

Amigos
O adolescente fazia parte de um grupo que gravava vídeos de humor e postava nas redes sociais. Amigos também participaram do ato na delegacia.

“Eu faço projetos de vídeos de humor no Facebook e no YouTube, então ele ajudava a gente nisso, inclusive nos campeonatos de jogos online que a gente faz. Eu conhecia ele há seis meses e foi uma amizade intensa, ele passava às vezes uma semana na minha casa e a gente gravando vídeos. No dia anterior ao ocorrido eu estava com ele no shopping, inclusive a gente gravou alguns vídeos lá e no dia seguinte quando vi foi um monte de gente me ligando para falar a notícia. Estamos fazendo isso justamente para não deixar esse caso morrer e para que não possam ocorrer outros casos, pois tem muita gente que está nessa situação”, disse Rodrigo Moraes, 29 anos, designer e amigo da vítima.

 David Santos de oliveira morreu após facada  (Foto: Ive Rylo/G1 AM)
David Santos de Oliveira morreu após facada (Foto: Ive Rylo/G1 AM)

Crime

De acordo com informações  repassadas pela mãe do estudante, que não quis ser identificada, ela e o marido estavam separados. Ele teria invadido a residência e tentado esfaqueá-la.

“Ele veio para cima de mim e da minha filha de 5 anos com uma faca. Eu tentei me proteger com o travesseiro e pedia para ele não fazer isso. Ele não parou. Ai, o meu filho veio por trás dele, tentou dar um [golpe] ‘mata leão’, para ele [padrasto] parar. Foi quando ele atingiu o meu filho”, disse a mãe ao G1.

A mulher disse ainda que fazia uma dia que ela tinha posto ao fim, ao relacionamento que já durava seis meses. “Ele não aceitava a separação, sempre foi muito frio e não estava mais dando certo”, afirma.

 

Com Informações do G1 Amazonas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *