Fiasco na Saúde: Governo paga mais de R$ 4 milhões a empresa que não presta serviço

O governo do Amazonas está envolvido em mais um fiasco na Saúde. Desta vez, servidores terceirizados, do HPS 28 de Agosto e do Hospital João Lúcio, acusam o Estado de manter contrato com a empresa Diagmax, que seria responsável pelo parque de imagens das unidades, porém o serviço não está sendo prestado, uma vez que os equipamentos estão quebrados e os funcionários estão sem receber.

A empresa também possui diversos problemas fiscais apontados pelos servidores. Além disso, funcionários relatam que estão sofrendo assédio moral. Segundo um deles, que pediu para não ser citado na reportagem a fim de evitar mais constrangimentos, ele e os demais colegas estão pressionados a fazer parte de uma cooperativa.

“Estamos sendo coagidos a entrar nessa cooperativa contra nossa vontade. E eles (superiores da Diagmax) disseram que quem não aceitar a imposição será demitido.” O depoimento é de um funcionário que não quis ter a identidade revelada.

Os problemas causados pela empresa, que recebe mais de R$ 4 milhões por ano do governo do Estado afetam os serviços prestados nas unidades de saúde. Só esta semana foram registradas diversas ocorrências graves em que pacientes precisaram de tomografias e ultrassonografias, porém tiveram de ser transferidas para o HPS Platão Araújo.

Vale lembrar que mesmo sendo parte do sistema de saúde do Estado, a empresa que presta os serviços de imagem ao Platão Araújo é diferenciada, mantendo todos serviços em dia, inclusive com equipamentos 100% operantes.

– [ ] Esta não é a primeira que o governo tampão se envolve em escândalos pela má prestação de serviços na saúde, ao firmar contarias com empresas irregulares sob suspeita de favorecimento. Um caso recente é a aprovação feita pela CGL ao contrato com a Norte Medicamentos, acusada de fraudar documentos para vencer licitações.

Fonte: Portal AM Hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *