Ex-governador do AM tem prisão temporária prorrogada

Foto - Reprodução Internet

Ele é acusado de participar de um esquema de desvio de verbas da saúde e foi preso na última semana. José Melo foi cassado por compra de votos na eleição de 2014.

O ex-governador do Amazonas, José Melo (PROS), teve a prisão temporária prorrogada por mais cinco dias. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), nesta terça-feira (26). Melo foi preso em seu sítio, na última semana, durante a terceira fase da operação Maus Caminhos. Ele é suspeito de participar de um esquema de desvio de verbas da saúde e foi cassado por compra de votos na eleição de 2014.

Foto – Reprodução Internet

O G1 tentou contato telefônico com a defesa do ex-governador, mas as ligações não foram atendidas.

A prorrogação da prisão ocorre após um pedido do Ministério Público Federal (MPF) e deve começar a contar nesta quarta-feira (27).

“A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa que a prisão temporária do ex-governador José Melo foi prorrogada e o mesmo continua preso no Centro de Detenção Provisória Masculino II (CDPM II)”, disse o órgão por meio de nota enviada ao G1.

Maus Caminhos

A investigação da Operação Maus Caminhos apontou que a movimentação financeira do ex-governador do Amazonas, José Melo (PROS), é considerada incompatível com sua renda. Ele teria recebido dinheiro em espécie do médico Mouhamad Moustafa, apontado como o chefe do esquema que desviou recursos destinados à saúde pública.

A participação de Melo no esquema foi identificada por meio de conversas telefônicas interceptadas entre o irmão do ex-governador e Mouhamad Moustafa. Ex-secretários de governo também foram presos durante a Maus Caminhos.

“Nota técnica da CGU [Controladoria-Geral da União] aponta indícios de enriquecimento de José Melo, especialmente em virtude da aquisição de um imóvel de alto valor, avaliado em cerca de R$ 7 milhões, além de reformas vultuosas em sítio também de sua propriedade”, informou comunicado do MPF.

Em 2016, a Operação Maus Caminhos desarticulou um grupo que possuía contratos firmados com o governo do estado para a gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Sales, em Manaus; da Maternidade Enfermeira Celina Villacrez Ruiz, em Tabatinga; e do Centro de Reabilitação em Dependência Química (CRDQ) do Estado do Amazonas, em Rio Preto da Eva. A gestão dessas unidades de saúde era feita pelo Instituto Novos Caminhos (INC), instituição qualificada como organização social.

As investigações que deram origem à operação demonstraram que dos quase R$ 900 milhões repassados, entre 2014 e 2015, pelo Fundo Nacional de Saúde (FNS) ao Fundo Estadual de Saúde (FES), mais de R$ 250 milhões teriam sido destinados ao INC.

A apuração indica o desvio de R$ 50 milhões em recursos públicos, além de pagamentos a fornecedores sem contraprestação ou por serviços e produtos superfaturados, movimentação de grande volume de recursos via saques em espécie e lavagem de dinheiro pelos líderes da organização criminosa.

Prisão

José Melo foi preso, na quinta-feira (21), em um sítio em Rio Preto da Eva, na Região Metropolitana de Manaus, e encaminhado para a sede da Polícia Federal (PF), na capital. No sítio, a PF apreendeu cerca de R$ 90 mil. Aproximadamente R$ 300 foram localizados em outra residência onde foi cumprido mandado de busca e apreensão.

Além da prisão de Melo, a PF cumpriu mandados em empresas de propriedade da esposa do governador cassado, na manhã desta quinta-feira.

O caseiro do sítio de José Melo também foi preso por porte ilegal de arma de fogo, segundo o delegado da PF Alexandre Teixeira.

 

Com Informações do g1 Amazonas

Be the first to comment on "Ex-governador do AM tem prisão temporária prorrogada"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*