Em primeira reunião com equipes de transição, Carlos Almeida afirma que governo irá focar na eficiência

Durante entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (7), no prédio Ozias Monteiro, anexo da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), o vice-governador eleito, Carlos Almeida, enfatizou que o Estado precisa de uma reforma administrativa eficiente para manter os serviços públicos essenciais para a população, sem esquecer das políticas de valorização para o servidor público.

Almeida também destacou que essa reforma não implica necessariamente na extinção ou criação de secretarias e que, para isso, será fundamental o desenvolvimento dos trabalhos da Comissão de transição para analisar a situação financeira e orçamentária do Estado.

“O Estado precisa de uma reforma administrativa por conta da sua estrutura. Iremos focar na eficiência. Entendemos que a reforma administrativa depende da manifestação dos demais poderes. Temos a informação de que o limite prudencial se encontra já ultrapassado e precisamos saber qual o recurso para garantir equilíbrio financeiro que o Estado irá adotar até porque a implementação dos direitos dos servidores públicos precisa dessa saúde financeira. Então essa interlocução com a equipe de transição será importante para as mudanças que queremos”.

Os trabalhos com as equipes de transição, do governo atual e do governo eleito, iniciaram, nesta quarta-feira na Sefaz. Durante o primeiro encontro, as equipes definiram que vão manter uma reunião semanalmente para tratar do levantamento e diagnóstico da estrutura socioeconômica do Estado e que as informações desse trabalho serão divulgadas, exclusivamente, pelos coordenadores de cada equipe. No caso da equipe de Wilson Lima, o responsável será o próprio vice-governador eleito, Carlos Almeida, e da equipe do Governo Estadual as informações estão a cargo do secretário da Sefaz, Alfredo Paes.

Carlos Almeida destaca que nesse trabalho serão criadas subcomissões de ambas equipes para agilizar o processo de análise das informações fundamentais no processo de transição.

“O governador eleito Wilson Lima e eu temos uma preocupação muito forte com relação aos serviços públicos que não podem sofrer descontinuidade, em especial, a área da saúde, segurança e educação. Vamos manter a interlocução com a equipe de transição para compreensão dos contratos e de todas as obrigações que o Estado deve manter. Para auxiliar nesse nosso trabalho, serão criadas subcomissões necessárias, tanto da parte do Estado quanto do governo que se inicia, para que se possam prestar as informações necessárias”, destacou Carlos Almeida que, ainda, afirmou que as informações referentes à Sefaz serão as primeiras a serem observadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *