Conselho Tutelar de Boca do Acre realiza palestras de conscientização em Instituições de Ensino do município

O Conselho Tutelar, em parceria com a Polícia Militar de Boca do Acre, estão realizando em algumas Instituições Públicas de Ensino da Rede Municipal e Estadual do município, palestras sobre dogras lícitas e ilícitas dentro de escolas, irresponsabilidade e falta de frequência dos pais nas escolas e etc.

Escola Municipal 1°Passo

Os encontros contam com a participação de alunos, pais de alunos, gestores, professores, Conselho Tutelar, Polícia Militar de Boca do Acre e funcionários das Escolas.

De acordo com o conselheiro José Silva, é necessário a parceria entre família e escola, pois sempre foi um elo importantíssimo no desenvolvimento da aprendizagem de qualquer criança,  jovem e adolescente. Não há como negar que uma família quando se descuida do desenvolvimento escolar de seus filhos, estes apresentam queda acentuada nos resultados obtidos dos boletins bimestrais.

É preciso, portanto, que a família, seja ela que composição tiver, cumpra os seus deveres e que a escola faça valer sua proposta pedagógica como meta, para que ambos possam atingir seus objetivos na formação dessas crianças,  jovens e adolescentes.

O primeiro passo para que isso aconteça é estabelecer regras que fortalecerão essa parceria permitindo que a aprendizagem dos filhos e alunos se efetive claramente através de seus desempenhos, tanto no lar quanto na escola.

Escola Municipal Mary Harvey

Muitos especialista são taxativos quando dizem ser a família a base de toda educação e formação, mesmo estando ela enfrentando mudanças em seu contexto social, econômico e de composição. A família de hoje não é mais considerada a célula mater da sociedade, pois ela sofreu as transformações da sociedade moderna, mas, não deve ser retirado dela sua responsabilidade no ato de educar. “A mim foi proporcionado tal responsabilidade e preocupação em levar o conhecimento ás pessoas, através do meu trabalho e as vezes me sinto constrangido quando convivo com famílias que experimentam a “tirania da liberdade” em que as crianças podem tudo: gritam, riscam as paredes, ameaçam as visitas em face da autoridade complacente dos pais que se pensam ainda campeões da liberdade”.

(PAULO FREIRE, 2000: 29)”.A verdade é que a Escola sozinha não conseguirá levar a diante a responsabilidade de educar e ensinar, já que a responsabilidade maior da escola está em ensinar e a da família está em educar”.

Ressaltou ainda que o uso de drogas é um fenômeno sociocultural complexo, o que significa dizer que sua presença em nossa sociedade não é simples.

Não só existem variados tipos de drogas, mas também são diferentes os efeitos por elas produzidos e a adolescência – período marcado por mudanças e curiosidades sobre um mundo que existe além da família – representa um momento especial no qual a droga exerce forte atrativo.

Faz-se necessário portanto, uma educação preventiva e a conscientização de todos: alunos, pais professores, enfim, toda a comunidade sobre os efeitos e conseqüências maléficas causadas por essas substâncias à vida humana em todos os seus aspectos físico, psíquico e social. Pontuou.

A equipe já realizou palestras

nas Escolas Municipais:  Safira Batista,  1°Passo, Nilce Avilar e Mary Harvey. Além das Escolas Estaduais:  Barão de Boca do Acre e Almirante Barroso.

 

Matéria : Romário Vieira / Portal do Amazonas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *