Ameaçada de ficar fora de competição nacional, Seleção Amazonense de Handebol pede socorro da Aleam

Escrevendo história no esporte desde a década de 1970, a seleção amazonense de handebol master esteve na manhã desta quinta-feira, 16, na Assembleia Legislativa do Estado Amazonas (Aleam) para relatar a falta de sensibilidade do Governo do Amazonas com a equipe. Isso porque, o grupo de 25 atletas é o representante do Estado  numa das principais competições do calendário nacional, o Brazil Master Cup 2019, e não recebe apoio do Estado para treinar, ir ao certame, ou mesmo de estadia em São Paulo, onde acontece o evento, no período de 20 a 23 de junho.

A iniciativa de dar voz à seleção amazonense foi do deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), que  pediu a ajuda de outros parlamentares para que o pedido de apoio do Estado ecoasse. A ação surtiu efeito e os deputados João Luiz (PRB), Berlamino Lins (PP), e Adjunto Afonso (PDT) se pronunciaram e cobraram uma atitude do Governo. Assim, chegou à Casa, a informação que a Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) receberá a equipe nesta sexta-feira, 17, para conversa.

A representante do time Master, Cliciomar Nóbrega, 45, que há 33 anos é jogadora, afirmou da tribuna da Casa que procurou o titular da Sejel, Caio André Oliveira, por quatro vezes, mas o encontro não ocorreu. Assim, a central da equipe bicampeã brasileira explicou que através de cotas e muito esforço, as passagens para o evento foram compradas, mas que agora falta a hospedagem da equipe.

“Hoje estou aqui para pedir apoio da Casa. A duras penas, conseguimos comprar nossas passagens e agora falta a hospedagem. Estamos fazendo rifas, distribuindo ofícios, várias atletas estão se virando, fazendo trabalhos para conquistar isto. O que peço dos senhores deputados, é que entendam que vamos representar o Amazonas, somos atletas acima de 44 anos. Para se ter ideia, não temos nem quadra para treinar, ficamos ‘pingando’ de quadra em quadra e pedindo espaço a Sejel através de ofício. Estamos no esporte por qualidade de vida, amor e dedicação, pois as dificuldades são muitas. Hoje é muito triste ver atletas no sinal, pedindo dinheiro, pedindo apoio para viajar. Sempre tivemos apoio e agora não”, desabafou Cliciomar.

A atleta relatou que nesta semana, a Sejel ainda concedeu horário para o treinamento da equipe na Arena Amadeu Teixeira, na Loris Cordovil, mas que mesmo assim, o grupo foi impedido de realizar a preparação. “Concederam um horário pela noite, das 21 às 22h, mas quando chegamos lá falaram que não poderíamos fazer o treinamento. Mesmo assim, ainda esperamos esse apoio. Hoje muitos jovens se perdem por falta de oportunidade e não queremos que o apoio precário possa nos prejudicar e prejudicar aqueles que ainda estão engatinhando no esporte”, relatou a Central.

Diante do fato, Wilker Barreto pediu à Casa um documento solicitando do Governo do Amazonas apoio ao esporte, em especial para a equipe Máster de Handebol do Amazonas.

“Estamos falando de R$ 8 mil para o Governo e essa equipe que tem no currículo o Campeonato Brasileiro, mesmo assim não consegue apoio para ir à competição, porém o Estado tem dinheiro para buffet de bacalhau e camarão que custam um R$ 1,7 milhão. É isso que não me conformo, mas o Estado tem toda a liberdade de rever seus atos. Este ofício aliás, será em conjunto, e protocolado dizendo que elas cumpriram todos os requisitos, fazendo o pedido 30 dias antes. Se a seleção master não consegue treinar na Amadeu Teixeira, qual a finalidade daquele espaço público”, questionou Wilker.

O deputado estadual João Luiz se pronunciou a respeito do caso. “Ouvindo da tribuna, entramos em contato com o secretário Caio, que se comprometeu a receber a equipe nesta sexta-feira, 17, às 8h30. O esporte precisa ser motivado, incentivado, e o Amazonas precisa do olhar diferenciado, pois o esporte ajuda muito na saúde, na recuperação, e essa seleção merece o apoio”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *