A produção da indústria cresce 0,8%, melhor resultado para maio desde 2011

Na comparação com maio do ano passado, alta foi de 4%, maior avanço desde fevereiro de 2014, diz o IBGE.

A produção da indústria brasileira cresceu 0,8% em maio frente a abril (com ajuste sazonal), o melhor resultado para o mês desde 2011, quando o setor avançou 2,7%, segundo dados divulgados nesta terça-feira (4) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Operário da indústria de base de Sertãozinho (SP) (Foto: Reprodução/EPTV)

Essa é a segunda alta seguida, acumulando nesse período crescimento de 1,9%, o que elimina a queda de 1,6% observada em março, segundo o IBGE.

Em relação a maio do ano anterior (série sem ajuste sazonal), o total da indústria apontou expansão de 4,0% em maio de 2017, o maior avanço desde fevereiro de 2014, quando a indústria cresceu 4,8%.

Produção e faturamento industrial avançam em maio, diz CNI

De janeiro a maio de 2017, o setor industrial acumulou alta de 0,5%, de acordo com o IBGE. Com o recuo de 2,4% em maio de 2017, a taxa anualizada, indicador acumulado nos últimos doze meses, prosseguiu com a redução no ritmo de queda iniciada em junho de 2016 (-9,7%).

Entenda

Bens de capital

São aqueles usados na produção de outros bens, como máquinas, equipamentos, materiais de construção, instalações industriais.

Bens intermediários

São os comprados de outra empresa para o processo de produção, como uma bobina de aço adquirida de uma siderúrgica para a fabricação de um automóvel.

Bens de consumo duráveis

São aqueles que podem ser utilizados durante longos períodos, como automóveis e geladeira.

Bens de consumo semi-duráveis e não duráveis

Os semi-duráveis podem ser considerados os calçados e as roupas, que vão se desgastando aos poucos. Já os não duráveis são aqueles feitos para serem consumidos imediatamente, como os alimentos.

 

Com Informações do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *